Domingo, 28 de Dezembro de 2008

Matança na Faixa de Gaza

 

Passaram apenas quatro dias desde que aqui dei conta dos planos bélicos do governo de Israel, que em processo de eleições internas, resolve trazer para a campanha eleitoral aquilo que parece dar mais votos aos candidatos em confronto, a violência gratuita ou desproporcionada.

No ataque mais mortífero desde há várias décadas, as forças militares israelitas lançaram cerca de 40 mísseis sobre a Faixa de Gaza, causando dezenas de vítimas. O número continua a aumentar nas últimas horas e neste momento o número de mortos palestinianos eleva-se a 230, a maioria deles na cidade de Gaza, 700 feridos, muitos deles graves e ainda estão a ser resgatadas pessoas debaixo dos escombros.

A adensar ainda mais o cenário do massacre é preciso ter-se em conta que o bombardeamento produz-se no momento em que as autoridades egípcias se encontravam num processo de mediação para restabelecer a trégua que tinha sido fixada em 19 de Junho passado e que se tinha prolongado por seis meses.

Cerca de 1,5 milhões de pessoas vivem em Gaza, mais de metade dos quais são refugiados dos diferentes conflitos entre palestinianos e israelitas nos últimos anos. A cidade de Gaza tem uma das maiores densidades de população do mundo, assim como uma importante taxa de crescimento demográfico.

O ataque tem, como já aqui ficou claro, como principal objectivo acabar com o governo do Hamas em Gaza que, recorde-se, ganhou o poder em eleições livres.

Assistimos a um espectáculo que foi cuidadosamente planeado, assim o demonstram as palavras proferidas por Tzipi Livni, ministra dos negócios estrangeiros, transcritas neste blogue há quatro dias. O que podemos esperar é que as vítimas serão muitas. Estamos perante uma catástrofe humanitária de dimensões incalculáveis.

Os políticos israelitas têm competido para ver quem lançava ameaças mais duras, ávidos de ganhar o apoio de um eleitorado que nos últimos dias se inclinaram em favor dos partidos da ultra-direita.

Esta escalada verbal terminou com o maior bombardeamento dos últimos anos. E lançou uma clara mensagem ao novo inquilino da Casa Branca, Barak Obama. Uma mensagem de factos consumados procedente de um país que durante a campanha eleitoral norte-americana disse preferir o candidato republicano e que teme que Obama mostre uma maior compreensão pelos palestinianos que os seus predecessores.

O presidente palestiniano, Mahmud Abbas, condenou os ataques e pediu a intervenção internacional para deter estes ataques. Sabendo-se como se sabe que Israel contará com o apoio e o poder de veto dos Estados Unidos na ONU, seguem-se, como é habitual, as tímidas condenações. O chefe da política externa da União Europeia, Javier Solana, "exigiu" um cessar fogo, o presidente em exercício da União Europeia, Nicolas Sarkozy idem. O primeiro-ministro britânico Gordon Brown expressou "profunda preocupação" pelos últimos desenvolvimentos do conflito e apelou ao fim da violência. O secretário geral das Nações Unidas, Ban-Ki Moon, mostrou-se alarmado pelo derramamento de sangue ocorrido e "sugeriu" um imediato cessar fogo para evitar a continuação da violência.

Enquanto isto, preparamo-nos para "festejar" a passagem de um ano em que a violência extrema esteve sempre presente. E pela forma como acaba podemos ter a certeza de que para o ano haverá mais...

publicado por salvoconduto às 00:01
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De Viana a 28 de Dezembro de 2008 às 00:20
Cometem as maiores barbaridades à sombra do holocausto!
De maria a 28 de Dezembro de 2008 às 01:09
Não te leio até ao fim...Já ouvi demais nas notícias.
Isto é inadmissível! É um verdadeiro massacre! E o amigo deles não diz nada...
De Suzette a 28 de Dezembro de 2008 às 02:17
Genocídio friamente premeditado, é disso que se trata.
Denunciaste a sua preparação aqui no teu blogue e concretizou-se!

O ódio dos palestinianos não poderá deixar de aumentar. Era de prever quando os enjaularam na faixa de gaza.

De BlueVelvet a 28 de Dezembro de 2008 às 03:05
Fiquei apatetada quando ouvi a notícia.
É demasiado gratuito um ataque destes, sem qualquer justificação que não sejam as ambições políticas próprias de um período de eleições. Mas usar destes meios é uma selvajaria indigna de qualquer compreensão ou apoio.
Vamos ver o que fará Obama, porque do outro, naturalmente que nada há a esperar.
Deve estar a preparar os bailes de comemoração da sua "brilhante" governação de 8 anos.
Raio de Mundo este.
Abreijinhos
De violeta a 28 de Dezembro de 2008 às 13:51
Sei que é ingénuo da minha parte, mas fico tão triste, tão triste por israel funcionar assim...
2009 avinha-se negro...
De Si a 28 de Dezembro de 2008 às 16:21
Pouco percebo de política, e muito menos das razões religiosas, culturais, étnicas ou históricas que regem este conflito. Apenas constato o evidente: os interesses económicos externos nada mais fazem do que atear rastilhos já demasiado curtos pelo fundamentalismo presente em qualquer um dos países do Médio Oriente. - seja ele qual for, pró ou contra EUA/UE.
De Clarice a 28 de Dezembro de 2008 às 18:55
Tanta tristeza em troca de tanta idiotice!
Beijos e coragem para mais uma ano.
De Ana Camarra a 28 de Dezembro de 2008 às 22:32
Salvoconduto

Novidade vai ser o dia em que se passar uma quadra natalicia sem esta barbaridade cometida sempre sobre os mesmos.
Lembras-te dos bombardeamentos tradicionais sobre a Igreja de Belém nas noites de 24 para 25 de Dezembro?
Isto de facto é barbaro, o pior é que não é novidade, o pior é se trata de algo para o qual o mundo ocidental lamenta e segue em frente, o pior é que nada disto que á partida não teria nunca justificação, cada vez tem menos.
Cada vez mais Israelitas são contra este tipo de acção.
um horror, um horror, um horror, resta saber até quando....


Beijos

De Sensei a 28 de Dezembro de 2008 às 22:55
Fico sem palavras perante tal barbárie !
Admira-me mais. ou talvez não, que tendo este povo Israelita sofrido o que sofreu às mãos dos Nazis, esteja agora a cometer exactamente o mesmo sobre os Palestinianos.
Só me resta começar a duvidar de que a barbárie Nazi, sobre o Judeus, afinal talvez não tenha sido tão grande quanto apregoam. Não duvido que tenha existido, pois sei bem que sim, existiu, basta visitar Auschwitz-Birkenau , Dachau , Buchenwald , etc.
Mas neste momento acredito que os Israelitas tenham ultrapassado o número de assassinatos dos Nazis, relativamente a Palestinianos e Judeus.
Mas a UE jamais terá a coragem ou sequer a vontade ou liberdade, pois são uma corja de cobardes, em embargar Israel, quanto aos EUA, todos sabemos que é a verdadeira pátria Judaica e Israel a sua base de controlo de todo o Médio Oriente e de vigilância à Rússia e ao Balcãs

Ainda assim, venho deixar-te esta minha saudação:
Espero que o Natal te tenha corrido muito bem na companhia dos que mais amas e, que te retribuem esse amor de igual forma.
Ainda que o ano de 2009, se tiver de que ter algo de mau, que esse mal, seja o que de melhor teve 2008.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Fico sem palavras perante tal barbárie ! <BR>Admira-me mais. ou talvez não, que tendo este povo Israelita sofrido o que sofreu às mãos dos Nazis, esteja agora a cometer exactamente o mesmo sobre os Palestinianos. <BR>Só me resta começar a duvidar de que a barbárie Nazi, sobre o Judeus, afinal talvez não tenha sido tão grande quanto apregoam. Não duvido que tenha existido, pois sei bem que sim, existiu, basta visitar Auschwitz-Birkenau , Dachau , Buchenwald , etc. <BR>Mas neste momento acredito que os Israelitas tenham ultrapassado o número de assassinatos dos Nazis, relativamente a Palestinianos e Judeus. <BR>Mas a UE jamais terá a coragem ou sequer a vontade ou liberdade, pois são uma corja de cobardes, em embargar Israel, quanto aos EUA, todos sabemos que é a verdadeira pátria Judaica e Israel a sua base de controlo de todo o Médio Oriente e de vigilância à Rússia e ao Balcãs <BR><BR>Ainda assim, venho deixar-te esta minha saudação: <BR>Espero que o Natal te tenha corrido muito bem na companhia dos que mais amas e, que te retribuem esse amor de igual forma. <BR>Ainda que o ano de 2009, se tiver de que ter algo de mau, que esse mal, seja o que de melhor teve 2008. <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Ouss</A>

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

.Março 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Cá se fazem cá se pagam

. Eles aí estão

. Está o caldo entornado...

. O gesto é tudo

. E a Ucrânia ali tão perto...

. De capa e batina

. Subscrevo

. Gorduras do estado

. Curtas

. Podias andar de Clio? Pod...

.arquivos

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

.subscrever feeds