Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Salvo-conduto

A erva daninha cresce todos os dias

A erva daninha cresce todos os dias

Salvo-conduto

23
Out09

Malalai Joya

salvoconduto

 

 

 

Pelos vistos não sou só eu que afirmo que as eleições afegãs foram uma gigantesca fraude, e que vergonhas à parte, recebeu o apoio dos governos ocidentais para uma segunda volta. Julgam eles que esse acto lhe confere mais "credibilidade". Há até quem não tenha pejo em afirmar: "é verdade que houve fraudes consideráveis, mas apenas isso". Dito assim até faz gelar o sangue, mas quem o disse foi o representante especial da ONU no Afeganistão, Kai Eide.

Quem não está de acordo com esta hipocrisia é Malalai Joya, uma deputada afegã que no entanto não tem direito a ali sentar-se. Anteontem ao receber, em Madrid, o Prémio Juan María Bandres dedicado à Defesa do Direito de Asilo e à Solidariedade com os Refugiados afirmou não saber quantos dias lhe restam de vida, mas que até que a matem continuará a denunciar aqueles que governam o Afeganistão com as mãos manchadas de sangue.

Admirada por uns, odiada por outros, defensora dos direitos humanos, com 31 anos, converteu-se na pessoa mais jovem do Parlamento afegão. Mas como não podia deixar de ser o parlamento expulsou-a dois anos depois, por acusar alguns dos seus membros de narcotraficantes, corruptos e misóginos.

Sobre as eleições, sobre o que se passou na primeira volta, garante que irá repetir-se na segunda e vai mais longe, afirma que estas eleições nunca serão consideradas legítimas pela maioria dos afegãos nem com uma ronda eleitoral, nem com duas, nem sequer com dez, porque estão a celebrar-se debaixo da vigilância das armas, do império das drogas, da corrupção e do crime. Ganhe quem ganhar será o mesmo burro com uma nova sela. O que importa não é quem vota, mas sim quem elege e isto é o mesmo que dizer o Ocidente, a Casa Branca. Enquanto isso as gentes do Afeganistão continuarão a morrer encurraladas entre dois inimigos, as tropas de ocupação estrangeiras e um governo ilegítimo.

Malalai Joya alerta para o facto de o dinheiro e as armas estrangeiras irem parar aos senhores da guerra, tornando-os mais poderosos. Cada bombardeamento aéreo que mata civis está a beneficiar os talibãs. Por isso, quanto mais tempo durar a ocupação, pior será a guerra civil posterior. Os senhores da guerra que se uniram a Karzai e Abdullah foram precisamente os responsáveis pela anterior guerra civil afegã. Se se lhes dá o apoio, em vez de apoiar as verdadeiras forças democráticas, que agora se vêm forçadas a viver na clandestinidade pelas ameaças de morte que recebem, definitivamente haverá outra guerra civil.

Malalai Joya apresta-se para regressar ao Afeganistão recusando qualquer ideia de se refugiar pelas nossa bandas pois como diz, passou a infância e a adolescência em campos de refugiados no Irão e no Paquistão, mas voltou porque queria ajudar a construir um Afeganistão em paz, unir-se aos milhares de afegãos que já ali estavam, arriscando as vidas pela paz.

Essa é a pesada herança que o ocidente lhes deixa…

 

Para conhecerem um pouco a fibra de que é feita Malalai Joya deixo-vos aqui este vídeo.

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D