Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Salvo-conduto

A erva daninha cresce todos os dias

A erva daninha cresce todos os dias

Salvo-conduto

26
Out10

De saco cheio

salvoconduto

 

 

Em se tratando de saco Daniel Oliveira não escolhe, tanto lhe faz que seja de plástico, de pano ou até de serapilheira. Uma vez mais mete tudo no mesmo saco, banqueiros e bancários.

 

À medida que a opinião dominante vai fazendo crer que somos um país de privilegiados também ele acompanha a maré e projecta no Expresso on-line o verbalismo fácil e demagogo. Curiosamente não são poucas as vezes em que no seu "Arrastão" deixa acusações de populismo e demagogia a Hugo Chavez esquecendo-se que este à sua beira ainda tem muito, mas mesmo muito, para aprender.


Atando no mesmo molho banqueiros e bancários, apodando-os de privilegiados, onde é que eu já ouvi isto, acusa-os de estar a tentar fugir ao corte de salários. Pudesse eu fazer o mesmo e mandaria os arrastões desta vida catar macacos, nunca me dei bem com o mal dos outros.

 

A todos os que conseguirem escapar ao garrote do bloco central e seus apêndices, eu daqui antecipadamente os saúdo e relembro que já uma vez o Tribunal Constitucional considerou ilegais os cortes de salários.


Daniel Oliveira sabe que os salários dos trabalhadores do BdP ou da CGD não têm nada que ver com as remunerações e reformas dos "banqueiros" para ali nomeados, mas sabe ainda melhor o que persegue com este tipo de populismo, a caixa de comentários do Arrastão é esclarecedora. Aqueles que exorcizam o Estado curvam-se reverenciais e tecem-lhe os mais rasgados elogios, enaltecendo-lhe a "coragem". Para ele "puros" sós seus.

 

Não é por acaso que a comunicação social liberal sempre que pretende passar a imagem de que é plural, livre e isenta se serve desta gente, não diz é quanto lhe paga para escrever textos como este.

 

Daniel Oliveira omite que a generalidade dos trabalhadores do BdP e da CGD têm a sua tabela salarial balizada por Acordo de Empresa, negociado pelos respectivos sindicatos, genericamente comum à da restante banca privada, e que é legítimo que o queiram ver cumprido, recorrendo a todas as formas, incluindo a Greve Geral de 24 de Novembro próximo.

 

Até lá vou cuidar de continuar a arejar o saco.

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D