Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Salvo-conduto

A erva daninha cresce todos os dias

A erva daninha cresce todos os dias

Salvo-conduto

26
Nov10

Por uma boa causa

salvoconduto

 

 

 

Quem vem a este blogue com regularidade sabe bem que me preocupo com bem-estar das pessoas, até dos animaizinhos, que calo bem fundo a desgraça alheia, que normalmente alinho pelas boas causas, assino quase todas as petições e me solidarizo com a má sorte dos outros.


Pois agora partiu-se-me o coração ao saber que a Catarina, a Joana e a Teresa este ano não receberão prendas de Natal. A um mês de distância receberam a triste notícia pelo seu pai, padrasto no caso da Teresa, que este ano só haverá uma prenda para a Júlia, a irmã mais nova.


Foi assim que Pedro Passos Coelho deixou as coisas, preto branco, para desespero das três. O pesaroso pai-padrasto terá afirmado em declarações à margem do lançamento do livro de Luísa Castel-Branco: "não me vou endividar para estimular a economia. Cada um deve gastar aquilo que pode e eu não gosto de gastar aquilo que não posso".


Como me dói ver aquele pai a ter que dizer às filhas que este ano não vai haver prenda de Natal, por mais pequena que seja, mas é como ele diz, quem não tem dinheiro não tem vícios.


Estou seriamente a pensar em promover a abertura de uma conta na Caixa Geral de Depósitos (que ele espera vir a privatizar), destinada a recolher donativos para a compra da prenda de Natal da Catarina, da Joana e da Teresa. Como sempre espero contar com o apoio daqueles que nesta altura do ano não deixam de acorrer aos mais necessitados, aquele pai é decididamente um deles.


Apelo desde já à vossa compreensão. Logo que tenha o número da conta não deixarei de aqui o colocar. Conto à partida com o apoio generoso dos trabalhadores da Caixa. Tenho a certeza que farão questão de ser os primeiros a contribuir.


Passos Coelho confessa também que este ano, por causa da crise, se vê obrigado a fazer "uma poupança forçada". Confidenciou mesmo que o Natal será passado em casa dos sogros. Gela-se-me a alma ao saber que a desventura bateu tão forte à porta do Pedro.


Bora lá a ajudar o Pedro. Bora lá comprar uma prenda de Natal à Catarina, à Joana e à Teresa e vão ver que se sentem bem no papel de Pai Natal.

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D