Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Salvo-conduto

A erva daninha cresce todos os dias

A erva daninha cresce todos os dias

Salvo-conduto

06
Ago08

Hiroshima foi há 63 anos

salvoconduto

Com um minuto de silêncio, ao som das sirenes e o voo de pombas brancas, esta cidade mártir japonesa recordou hoje os horrores vividos há 63 anos, com o ataque nuclear dos Estados-Unidos.  Mais de 45 mil pessoas reuniram-se no Parque da Paz para render homenajem às centenas de milhares de vítimas que em 6 de agosto de 1945 sofreram os efeitos radioactivos da chantajem atómica de Washington ao mundo.

Nessa fatídica manhã, um bombardeiro B-29 lançou a bomba de três metros de comprimento, quatro toneladas de peso e com um simples quilo de urânio-235, que explodiu a 600 metros de altura.

Mais de 65 mil edifícios, casas e hospitais e 70 mil pessoas volatilizaram-se instantaneamente. Havia 300 médicos, dos quais 60 morreram e outros 210 ficaram feridos.

Os centros de assistência e urgências, assim como os 18 hospitais desapareceram.

Outras 110 mil, mulheres, homens e crianças faleciam poucos dias depois carbonizadas ou mutiladas. Hiroshima desaparecia do mapa mapa.

Não satisfeito ainda com a barbárie, o Pentágono lançou uma segunda bomba nuclear sobre a cidade de Nagasaki em 9 de Agosto, que causou outras 70 mil vítimas mortais.

Na sua intervenção, o presidente da câmara de Hiroshima, Tadatoshi Akiba, recordou que os Estados-Unidos foram um dos três únicos países que se opuseram à proposta apresentada pelo Japão perante a ONU para abolir as armas nucleares.

Recordo eu, que os Estados-Unidos foram os únicos a utilizar uma bomba nuclear...

06
Ago08

Em Roma mora um louco!

salvoconduto

Há alguns anos que a réplica de um quadro do século XVIII está pendurado na sala de imprensa do Governo italiano em Roma. "A Verdade Desvelada pelo Tempo", do artista neoclássico Giambattista Tiepolo, mostra uma jovem (a Verdade, neste caso), com o tronco nú, nos braços de um ancião (o Tempo).

A ideia veio precisamente do lado do presidente Silvio Berlusconi, cujo amigo e arquitecto Mario Catalano o aconselhou a colocar a pintura na parede por trás da mesa onde o Governo costuma receber a imprensa.

Mas Berlusconi mudou de ideias, aconselhado desta vez pelos seus assessores de imagem. Segundo o subsecretário para a presidência, Paolo Bonaiuti, o receio de que a visão desse seio "possa ferir a susceptibilidade de algum telespectador" é o motivo pelo qual a obra foi recentemente retocada, com o que o peito nú da mulher "desapareceu, recoberto por um véu".

O governador de Veneto, Giancarlo Galan, saiu em defesa de um dos artistas mais importantes da região ao declarar que o episódio é "absurdo e grotesco. Assim se ofende um artista que sempre, durante toda a sua vida, foi livre".

Vittorio Sgarbi, conhecido crítico de arte comentou: "Estão loucos! Como vão acabar com todos os nús da Antiga Roma?".

Os jornalistas não deixaram de notar a ironia entre o pudor do gesto e os sistemáticos comentários de conotação sexual de Berlusconi, que chegou a ter uma ex-modelo no gabinete e disse que as mulheres da direita "são mais bonitas" que as esquerda.

Já pensaram quantos quadros com nús existem em Itália?...

Aqui fica a obra sem censura:

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D