Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Salvo-conduto

A erva daninha cresce todos os dias

A erva daninha cresce todos os dias

Salvo-conduto

19
Nov08

Mais uma razão para se utilizar o google

salvoconduto

Mais uma pesquisa para alimentar a polémica se a Web é como a TV e nos ''deixa burros, burros demais'', como diz a canção, ou se ela exercita a inteligência. Pesquisadores da Ucla (Universidade da Califórnia de Los Angeles) concluíram que fazer buscas na Internet pode estimular e ajudar a melhorar o funcionamento do cérebro mais do que ler um livro.

Eles constataram que pesquisar na web desperta os centros no cérebro que controlam a tomada de decisões e o raciocínio complexo, em adultos de meia-idade e idosos. No entanto, o estudo conclui que essa maior actividade dos neurónios só acontece em pessoas que já estão familiarizadas com a Internet.

A pesquisa foi efectuada com a ajuda de 24 voluntários com idades entre 55 e 76 anos, sendo que metade tinha hábito de utilizar a internet. Eles leram livros e fizeram buscas na Internet sob monitorização de máquinas de ressonância magnética.


Na imagem acima dá para ver a diferença entre o cérebro de quem já está acostumado a pesquisar na Internet e de quem é iniciante na actividade.

Cada pontinho vermelho é um voxel, que representa entre 2 a 4 milímetros cúbicos de cérebro que é activado pela actividade que está sendo analisada: no cérebro de utilizadores experientes, foram encontrados 21.782 voxel (direita) em comparação com os 8.646 voxels das mentes dos inexperientes (esquerda).

Agora tenham cuidado, não confundam, para a alma não há nada melhor do que um livro e posts como este acontecem quando estamos com manifesta falta de tempo.

18
Nov08

Igreja Católica, fiel a si própria...

salvoconduto

A Igreja Católica deve testar todos os candidatos a padre para evitar a ordenação de suspeitos de homossexualismo "profundamente enraizado", de acordo com uma reportagem publicada pelo jornal britânico The Independent.

A recomendação foi formulada pela Congregação para a Educação Católica do Vaticano num documento baptizado de "Manual de Regras para o Uso da Psicologia na Admissão e na Formação de Padres".

O líder da congregação, cardeal Zenon Grocholewski, teria afirmado em entrevista colectiva durante a semana, que mesmo homossexuais celibatários devem ser excluídos da Igreja.

De acordo com o Independent, o líder católico polaco teria classificado o homossexualismo de "um tipo de desvio,de irregularidade" e que por isso representaria uma "ferida no exercício do sacerdócio".

"O candidato não precisa necessariamente praticar o homossexualismo. Ele pode não ter pecados, mas se tem uma tendência profundamente enraizada, não pode ser admitido para o ministério eclesiástico", disse o cardeal, segundo a reportagem do Independent.

A explicação para o afastamento de gays, segundo Grocholewski, seria "a natureza do sacerdócio, no qual se desempenha uma paternidade espiritual".

"De certa forma, quando nos perguntamos por que Cristo reservou o sacerdócio aos homens, falamos na sua paternidade espiritual, e sustentamos que o homossexualismo é um tipo de desvio, um tipo de irregularidade", afirmou.

"Por isso, é um tipo de ferida no exercício do sacerdócio, na formação de relações com os outros."

Essa não é a primeira vez que a Igreja recomenda a exclusão de homossexuais. Em 2005, o Vaticano divulgou que seminaristas gays deveriam ser afastados.

Já na idade média a igreja os perseguia e os condenava à fogueira...continua sempre actual.

17
Nov08

Os alunos aprenderam depressa...

salvoconduto

O parlamentar iraquiano Mohamed Al-Dainy denunciou a existência de 420 centros de detenção secretos no Iraque, alguns inclusive subterrâneos, onde se perpetram "graves violações dos direitos humanos".

Numa conferência de imprensa em Genebra, o legislador disse que tem documentada a situação nessas prisões e pode oferecer provas do seu funcionamento.

Declarou que nesses lugares se registam "execuções extra-judiciais, violações de homens e mulheres e detenções ilegais", uma série de denúncias que, assinalou, põem em risco a sua própria vida.

Segundo Al-Dainy, mais de 40.000 iraquianos estão confinados em 27 prisões oficiais debaixo de controlo das forças oficiais do Iraque, mas assegurou que essa cifra representa apenas a quarta parte do total de pessoas privadas da sua liberdade em todo o país, das quais "milhares" estão em lugares secretos.

O parlamentar, cujo encontro com a imprensa foi auspiciado pela ONG Alkarama, disse que os parlamentares da ala nacionalista que criticam a ocupação dos Estados Unidos sofrem hostilização e alguns foram assassinados ou tiveram que abandonar as suas funções por ameaças contra as suas famílias.

Por isso, solicitou à comunidade internacional que intervenha perante o Governo de Bagdade para garantir a protecção dos membros do Congresso e que estabeleça um tribunal internacional que julgue todos os crimes cometidos no Iraque desde os tempos de Sadam Hussein até agora.

Destacou que isto é necessário ante a inexistência de "um verdadeiro Poder Judicial no Iraque", devido a que "50% dos magistrados foram destituídos e colocadas nos seus lugares pessoas sem a qualificação requerida e os que restam têm medo de fazer alguma coisa".

Reclama à ONU que volte a criar a figura do relator especial desta organização para o Iraque, que foi eliminada logo da invasão norte-americana.

Dainy afirma que, desde a chegada das forças da coligação ao seu país 1,5 milhões de iraquianos foram mortos, quatro milhões converteram-se em refugiados nos países vizinhos e dois milhões em deslocados internos, um milhão ficaram incapacitados e há três milhões de órfãos. O parlamentar disse também que se tinha reunido em Genebra com membros do Comité Internacional da Cruz Vermelha e da ONU na área de direitos humanos.

No entanto, manifestou pessimismo sobre o resultado destas diligências devido "às pressões exercidas pelos Estados Unidos nas instituições internacionais".

É caso para dizer que quem sai aos seus não degenera, tem sido um "curso intensivo e bem ministrado".

15
Nov08

Faria de Oliveira e o porco

salvoconduto

O presidente da Caixa Geral de Depósitos (CGD), Fernando Faria de Oliveira, afirmou hoje que, quanto ao futuro do Banco Português de Negócios (BPN), existem várias hipóteses em cima da mesa. A primeira e mais desejável seria reestruturar o banco e reprivatizá-lo.

Ao falar durante a conferência 'Financiamento da Economia' organizada pela CGD, o presidente da Caixa disse que, "do meu ponto de vista, a reprivatização do BPN seria o ideal".

A segunda hipótese, adiantou ainda este responsável, passa pela venda de parte do activos ao sector privado.

A terceira e menos desejável hipótese será a integração do BPN na CGD, disse.

E por que não uma quarta, mantê-lo nacionalizado? Por que não mais concorrência do sector público com o sector privado? Por que não mais uma alavanca nas mãos do estado para prevenir os dislates do empreendorismo privado?

Já sei que a esta altura haverá quem se interrogue o que tenho eu contra a privada, mas de imediato esclareço, nada, eu até tenho duas cá em casa e agora que fiz obras ficaram mais catitas....

O que eu não quero é acreditar que estas palavras foram proferidas por um gestor de um banco PÚBLICO! Engordar o porco à custa do erário público e depois dá-lo ao sector privado?!

Já se sabe que está a pensar seguir montado no mesmo, uma vez que 2009 é ano de eleições e é natural que depois das mesmas haja redistribuição de tachos. À cautela vale mais ficar seguro e poderia muito bem ser a presidência do BPN depois de ter feito o brilharete de o estabilizar à custa do contribuinte. É que isso nem será muito difícil, a mama até está à mão e chama-se CGD! Podem ter a certeza que o burro não é ele,  pena é que não se agarre à quinta pata do porco...

14
Nov08

Só é caipirinha se for feita assim

salvoconduto

O Governo brasileiro fixou em lei a receita da popular caipirinha, que terão que seguir de forma obrigatória todos os barmen.

"A caipirinha bebida típica de Brasil, com graduação alcoólica de 15 a 36 por cento em volume, a vinte graus celsius, elaborada com cachaça, lima e açúcar, podendo adicionar-se água para adequar a gradação alcoólica", assim reza o texto publicado no Diário Oficial do Brasil. Este regulamento normativo, de aplicação imediata em todo o território brasileiro, pretende estabelecer os "padrões de identidade e qualidade" aos que deverá obedecer tanto a caipirinha comercializada no Brasil, como a fabricada para exportação.

Quanto a ingredientes, a lei é parcialmente flexível com o açúcar, permite que se apresente em cristal ou refinado, e tolera a sua substituição total ou parcial por glucose, mas nunca por edulcorantes sintéticos ou naturais.

Em relação à cachaça, estabelece-se que deve respeitar a suas características e padrões de qualidade e identidade. A lima pode adicionar-se na sua forma desidratada. O sumo de lima deve estar presente no combinado na proporção mínima de um por cento, com pelo menos cinco por cento de acidez. A água é considerada um ingrediente opcional e o seu uso está restringido "exclusivamente" para adequar a graduação alcoólica á margem permitida de entre 15 e 36 graus. O texto, no entanto, não precisa se se pode utilizar gelo, como fazem todos os meus amigos brasileiros, para esfriar a mistura ou aquelas caipirinhas que bebemos em alguns bares cá da nossa praça...

Também se tornou proibido o uso de qualquer ingrediente que possa alterar as "características sensoriais naturais" do produto final, como é o caso dos corantes. A norma também vetou a apresentação da bebida em recipientes de uso farmacêutico, como conta-gotas, ampolas e seringas, querem lá ver que há quem a meta para a veia! Até exfoliante de caipirinha eu já vi!

Já sabem, quando me convidarem para uma caipirinha, tem que ser desta maneira, se não chamo a ASAE! Deixem lá a treta da caipirinha de uva verde, de tangerina, a caipirinha com picolé ou até a caipirina com lima do Irão! Palpita-me que haverá quem não concorde, a ver vamos quando for a vossa casa... a menos que me convençam com uma receita diferente e desde que me sirvam a seguir uma feijoada, vatapá ou muqueca e sou capaz de condescender com um bom churrasco, valeu?

13
Nov08

O "New York Times" anuncia o fim da guerra do iraque

salvoconduto

Uma edição especial do 'The New York Times' com o título de capa "Acaba a guerra do Iraque" e outras notícias como a criação de um novo modelo de "economia sã" ou o processamento de George W. Bush por alta traição chegou às ruas de Nova York.

Depois de se observar detidamente a primeira página dá-se conta de que a data de publicação é de 4 de Julho de 2009, dia da independência, e que o lema do diário não é o habitual "Todas as notícias que merecem ser impressas", mas "Todas as notícias que desejamos imprimir".

Trata-se de uma edição promovida por um grupo de associações contra a guerra, a favor dos direitos humanos, da protecção do meio ambiente e a justiça económica.

Na verdade, o diário pirata, que conta 14 páginas, imita na perfeição o grafismo do jornal impresso e inclusive a sua página web, que não funcionou pela saturação de visitas. Para além disso, a publicidade retoma fotos de anúncios verdadeiros mas com o texto alterado. A joalharia De Beers anuncia por exemplo que "a compra de um diamante ajudará a modelar e custear uma prótese para um africano cuja mão foi decepada nos conflitos originados pelo controlo dos diamantes".

Um porta-voz do verdadeiro diário confirmou que se trata de uma edição falsa e limitou-se a apontar: "Estamos a tentar descobrir algo mais a este respeito".

Nas páginas do jornal podem ler-se esperançosas notícias como a que a guerra do Iraque terminou e que as tropas norte-americanas voltam a casa, para deixar nas mãos dos capacetes azuis da ONU as tarefas de manutenção da paz e reconstrução desse país e do Afeganistão.

Na sua primeira entrevista depois da sua "inculpação", Bush admite que se equivocou acerca do Iraque e que vai perseguir pessoalmente Osama Bin Laden, o chefe da rede terrorista Al Qaeda.

Outra informação desta utópica e liberal edição detalha o processo de nacionalização da maior petrolífera do mundo, a ExxonMobil, entre outras, para criar com os seus lucros um fundo que financie iniciativas para estudar e combater as alterações climáticas.

Na secção internacional também se fala do encerramento da prisão de Guantánamo e de outras instalações secretas da CIA, assim como da celebração do fim das hostilidades por parte de "dois milhões de iraquianos exilados e três milhões de refugiados internos, que começam a planear o seu regresso a casa".

Para além disso, o falso diário publica as desculpas da "ex-secretária de Estado" Condo-leezza Rice por defender que Sadam Husein tinha armas de destruição massiva sabendo que era mentira, e a notícia de que George W. Bush enfrenta acusações por alta traição e falsificação documental para justificar a guerra.

Na secção nacional, fala-se da criação duma segurança social pública, da implantação de um sistema de impostos mais progressivo e da abolição dos "lobbies" corporativos, depois dos avanços conseguidos nos oito meses decorridos desde que Barack Obama foi eleito presidente.

A secção de economia dá conta de uma nova legislação que estende para os accionistas as responsabilidades pelos delitos cometidos por uma empresa, da criação de uma lei pela qual o preço das coisas deverá reflectir o seu verdadeiro custo e do encerramento da Escola de Negócios da Universidade de Harvard.

A criação de uma universidade para exilados de outros países são assuntos tratados na secção local deste curioso jornal, de que foram distribuídos hoje cerca de um milhão e duzentos mil exemplares em algumas das estações do metro mais frequentadas e nas ruas mais transitadas das cidades de Nova Yorque e Los Angeles.

Que raio, por minutos fui uma pessoa feliz...Gostavam que tivesse sido uma edição verdadeira? Também eu. Esperem pelo dia 1 de Abril do próximo ano, quem sabe...

12
Nov08

A droga era outra...

salvoconduto

O presidente da Bolívia, Evo Morales, decidiu suspender "indefinidamente" as operações no seu país do Departamento Antidroga de Estados Unidos (DEA), depois de o acusar de realizar espionagem e conspiração contra o seu governo.

"É uma decisão pessoal, a partir de hoje suspende-se de maneira indefinida a actividade da DEA norte-americana, na Bolívia. Temos a obrigação de defender a soberania do povo boliviano", disse Morales.

Morales acusa a DEA de apoiar economicamente o golpe civil falhado dos prefeitos contra o seu Governo, numa alusão ao confronto entre o presidente províncias ricas da chamada Meia Lua.

Os agentes da DEA realizaram espionagem política, financiando grupos de delinquentes para atentarem contra a vida das autoridades, porque não dizer do próprio presidente. A agência norte-americana financiou os ataques aos aeroportos promovida nos departamen-tos de Santa Cruz, Pando, Beni e Tarija, em Setembro passado.

Morales também referiu que uma avioneta da DEA realizou vários voos para as regiões opositoras sem nenhum controlo, nem dar informações sobre o que transportaram para esses lugares.

Morales já tinha proibido no princípio de Outubro que os aviões da DEA realizassem voos sobre território boliviano.

Esta decisão é o último episódio do desencontro entre o presidente boliviano e os Estados Unidos. No passado mês de Setembro o governo de Morales decidiu expulsar o embaixador americano do país, o que provocou um efeito dominó e o presidente venezuelano, Hugo Chávez, fez o mesmo com o representante norte-americano em Caracas, enquanto que Washington declarou 'persona non grata' o embaixador boliviano Gustavo Guzmán.

Morales decidiu expulsar o embaixador Goldberg pelos seus frequentes contactos com autoridades e dirigentes civis de cinco dos nove departamentos opositores ao seu governo, que reclamam a sua autonomia face ao poder central. Evo Morales identificou Goldberg como impulsionador de uma conspiração contra o seu governo, iniciada em cinco dos nove departamentos.

Contudo, o presidente boliviano afirmou estar disposto a melhorar as relações diplomáticas da Bolívia com o novo governo dos Estados Unidos para superar o período de crise depois da expulsão dos embaixadores.

Quando será que as organizações norte americanas se fixam nas suas competências e deixam de atentar contra os países da América Latina que querem seguir livremente o seu caminho? Quando deixarão de actuar encapotadamente?

Será que, como espera Evo Morales, o novo governo Norte-Americano estará disposto a acabar com este modo de actuação? Humm...

11
Nov08

Em marcha o encerramento de Guantánamo?

salvoconduto

A Equipa de Barack Obama, está a preparar uma série de medidas para adiantar o encerramento do centro de detenção de Guantánamo, segundo revela a publicação 'The Huffington Post'.

Obama, que prometeu, durante a campanha presidencial, encerrar a prisão, terá agora que resolver o problema dos 255 detidos, que apodrecem nas suas celas.

McCain propôs transitar os processos judiciais para a base militar de Fort Leavenworth, no Kansas, enquanto que Obama considera injustas as regras especiais adoptadas pelos militares e quer que os julgamentos tenham lugar em tribunais federais ou sob a jurisdição militar ordinária.

A proposta que a equipa de Obama estaria a preparar, segundo a informação da agência Associated Press de que se faz eco o 'The Huffington Post', inclui a trasladação de "dezenas, se não centenas", de presos considerados pela Administração Bush suspeitos de terrorismo para que sejam julgados por tribunais penais ordinários nos Estados Unidos.

Isto implicaria logo que um número indeterminado de presos seriam postos em liberdade, dada a sua inocência e, em teoria, devolvidos aos seus países de origem, o que, em muitos casos, suporia pôr a sua vida em perigo ou expô-los a novas torturas, dado o "rótulo" que neste momento carregam, ou para países dispostos a acolhê-los.

Um terceiro grupo de detidos "poderia ser levado ante um novo tribunal, especial, criado para atender os casos mais sensíveis relacionados com a segurança nacional", segundo alguns assessores e membros do Partido Democrata que participam na elaboração do plano, "ainda preliminar".

Quer dizer, a nova Administração que tomará as rédeas dos Estados Unidos de maneira oficial no próximo dia 20 de Janeiro parece disposta a encerrar Guantánamo, com um plano que deverá contar com a colaboração das autoridades militares e o concurso de terceiros países dispostos a acolher alguns dos detidos.

De igual modo, está por ver a que tipo de jurisdição especial civil se encomendará a missão de julgar os detidos considerados mais perigosos de Guantánamo, e o que se fará com os casos em marcha ou pendentes de apelação que foram, até agora, conduzidos por uma jurisdição especial militar, denunciada pela sua excepcionalidade legal e a sua falta de respeito ao Direito Internacional.

O mundo está farto de "jurisdições excepcionais" e de "prisões excepcionais" que neste momento estão espalhadas pelo globo.

O encerramento de Guantánamo poderá ser a primeira prova para Obama, a segunda, sem dúvida, o fim do bloqueio a Cuba. Será que as vai superar?

10
Nov08

O George está de abalada

salvoconduto

Nos últimos dias muito se tem falado de Obama e nem uma palavra para o George. É uma injustiça... este homem que também deu "novos mundos" ao mundo, Iraque, Afganistão, Paquistão, Guantânamo e preparava-se para um novo Irão. Num momento como este nem um palavra para o grande derrotado das eleições de 4 de Novembro. A história recordá-lo-á como o pior presidente dos Estados Unidos, título bastante difícil de conquistar considerando que os seus rivais eram, nada menos, que Richard Nixon e Harry Truman.

Para mim uma imagem vale mais do que mil palavras por isso vos deixo com algumas, transversais ao seu mandato, embora junte uma nota de rodapé em cada uma, mas sempre com a mente no George, que nos vai deixar.

Meu Deus, George!

Não faças isso, George!

Protege as jóias da coroa, George!

Que giros, George!

 Segura-o bem, George!

É um peixe voador, George!

Com nós ou contra nós, George!

Mini-me, George!

Deixa-te de fitas, George!

Mostra-lhes o caminho, George!

Me George, tu Tarzan!

 Tens que o largar primeiro, George!

 

Quanto é que falta ainda? Não seria possível mantê-lo numa camisa de forças até Janeiro?

09
Nov08

9 de Novembro, o dia mais negro da História

salvoconduto

 

O dia 9 de Novembro é um dia muito marcado para todos os alemães. De qualquer ponto de vista representa o aniversário total da sua imensa capacidade para a destruição sem limites lógicos, leia-se o nazismo.

Em 9 de Novembro de 1938, milhares de militantes dos distintos grupos para-militares nazis e simpatizantes desatavam numa onda de violência sem precedentes e à escala nacional, incluída a Áustria, contra os seus concidadãos de religião judia.

Com execuções nas calçadas, milhares de sinagogas destruídas (quase 1.500 no total), igualmente milhares de casas e cerca de 7.000 lojas comerciais geridas por judeus. Para muitos historiadores, a 'Kristallnacht' (Noite de Cristal ou Noite dos Cristais Quebrados no seu modo mais extenso) foi o primeiro passo do Holocausto, onde juntamente com um milhão de judeus foram massacrados em campos de extermínio milhares de ciganos, comunistas, homossexuais, doentes mentais e povos eslavos chamados de 'Untermenschen' (infra-humanos) no ideário nacional-socialista. Adolf Hitler mostrava por fim a verdadeira face e vários governos rompiam relações com o Terceiro Reich, com uma excepção de monta, os Estados Unidos.

São lições da história a jamais podermos olvidar.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D