Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Salvo-conduto

A erva daninha cresce todos os dias

A erva daninha cresce todos os dias

Salvo-conduto

17
Jan12

Uma querida

salvoconduto

 

 

Celeste Cardona não gostou nada de ouvir Eduardo Catroga afirmar que não sabia porque estava ela na lista para o Conselho Geral e de Supervisão da EDP. "Olha o velhaco!", terá ela desabafado entre amigos, "quem me lá pôs foi quem te pôs a ti, oh presunçoso de merda! E desde quando é que a coligação governamental foi desfeita?"

 

Não se conforma e lá voltou a repetir "olha o velhaco, velhaco e dança-rino, está bom de ver!" Mas lá teve ela que engolir em seco, pelo menos em público, já que Passos Coelho os alertou que ainda tem mais uma série de nomeações por fazer.

 

Esta coisa das velhacarias e ingratidões tem que se lhe diga, Catroga ela ainda tem que engolir,  pelo menos para já, não está é para aturar o sacana do puto do Jornal de Negócios, Pedro Guerreiro, aquele que não perdoa não ter sido chamado para um cargo no governo ou para uma qualquer fundação como foi o seu antecessor, Sérgio Figueiredo, nomeado por Sócrates administrador da Fundação EDP (é grande aquela casa...) e por isso sempre que pode desanca em todo o tipo de nomeações. Mas Cardona não está para aí virada e muito menos aceita o despautério do Pedrinho.

 

"Ainda tu mamavas já eu fazia pela vida!", reage ela, agora fora da roda de amigos, sabendo de antemão que Passos Coelho não vai à bola com o puto. Daí até à página do Facebook foi um tirinho. Lá está ela a perguntar: "ouve lá oh catraio, conheces-me? Julgo que não!".

 

Num sei, juro que num sei se se conhecem ou não, muito menos onde cada um pendura o pote, mas que algumas afinidades há, lá isso há e nem sequer preciso de ir à bruxa para o saber.

 

Hoje Celeste Cardona volta ao Facebook e descarrega que "ser mulher em Portugal ainda é difícil...!" Aqui é que eu encanito, já que há muita mulher a quem acusam de levar uma vida fácil que não se importaria de trocar com ela, já que a prostituição na vi(d)a pública está difícil para todas, oh se está...

 

Mas a Celeste não se cala, ela não é pessoa de se ficar, muito menos consentir e por isso deixa lá escarrapachado: "Isto dá que pensar! Eu deixei a política activa há cerca de 8 anos. Porque será que se continua a achar que, estando fora da política activa, estou na política. Deve haver um fenómeno qualquer, que eu desconheço e não compreendo, porque se continuar a laborar neste erro".

 

Oh minha santa aqui volto a entrar eu, se for preciso faço um desenho! Oliveira e Costa, Duarte Lima, Dias Loureiro, Eduardo Catroga, Jorge Coelho, Pina Moura, Fernando Gomes, o tipo dos robalos, eu sei lá, podia ficar aqui a noite toda a citar quem saiu da política activa e olha que foi a partir daí que todos resolveram a sua vidinha, oh se foi. Mas já agora oh Celeste tu vê lá se vais ao Caldas, é que ainda lá constas como membro do Conselho Nacional do CDS. Por amor de Deus deposita lá o cartão durante uns tempos, pelo menos até os chinocas te darem com os pés, já que o zé-povinho não vejo jeito, com a mania que anda de snifar naftalina e se esquecer depressa quem lhe faz a vida negra.

 

16
Jan12

Fora do penico

salvoconduto

 

 

O vídeo andou por aí e já originou os mais diversos comentários. Houve até quem afirmasse que aquilo não passava de uma montagem, depressa desmentido pela autenticidade das imagens entretanto certificada. Estou a referir-me ao vídeo que mostra 4 soldados dos EUA a urinar, alegada-mente a urinar, como preferirem, sobre os cadáveres de 2 insurgentes acabados de ser abatidos. Estranhos insurgentes estes que nem sequer armas carregavam e que a única que se lhes aparentava seria um carri-nho de mão de transportar terra ou areia, adiante.

 

Faltava no meio disto tudo um remate final que acabou por ser dado por uma comentarista da CNN, Dana Loesch, que no seu programa de rádio em St. Louis se interroga por que se faz “um escândalo só porque uns marines estavam urinar sobre combatentes talibãs”. “Eu mesma teria baixado as calças e urinado também”. Prontos, estamos conversados. A gente nem precisa de adivinhar o que lhes vai na alma de tão cristalinos que são. Acrescente-se que a senhorinha é co-fundadora do Tea Party.

 

Agora vem a CNN lembrar que a sua comentarista Dana Loesch é parte de um amplo leque de opiniões “que provoca grande concordância e discordância” e que seus pontos de vista “são só seus”. São dela e de muita gente como ela, por isso mesmo é que o mundo está como está e não é por acaso que EUA é o país que mais prima por tão ampla "liberdade".

 

15
Jan12

Sentido de oportunidade

salvoconduto

 

 

Passou pelo governo no ministério da cultura, não se lhe conheceram grandes rasgos. Vale mais tarde do que nunca, terá pensado a senhora e se melhor o pensou depressa o fez. Apresentou na Assembleia da República um projecto de lei para criar uma nova taxa, a que ela chama contribuição, sobre a "cópia privada", a reverter, diz ela também, a favor dos autores. Eu explico melhor, todos os suportes de dados, pens, cartões de memória das máquinas fotográfica ou telemóveis, discos dos computadores, internos ou externos, tudo isso passará a ser taxado à cabeça e em função do seu tamanho, porque permite a cópia de dados de autor, quer sejam nossos ou de terceiros. Adora tirar fotografias ou fazer uns vídeos? Agora ainda mais com a massificação das máquinas digitais e telemóveis? Pois passará a pagar uma taxa extra quer no cartão de memória quer no disco do computador para onde terá de os terá de transferir. As fotografias são suas, os vídeos igualmente? Isso é você que o diz seu pirata de merda, pelo menos é assim que o pensa Gabriela Canavilhas, para quem todos são piratas mesmo com prova em contrário, tão piratas, tão piratas que até se pirateiam a si próprios, paga! As pequenas e médias empresas gemem? Cada vez são necessários discos com capacidade maior? Paga! Toma lá que é para passares a micro! E olhem que as taxas não são pequenas.

 

Não vou agora aqui discutir os Direitos de Autor, a forma como devem ser salvaguardados, nem tão pouco a forma como devemos fomentar a Cultura, por esta via não é de certeza. Os governos demitem-se da sua função de a promover e escondem-se atrás de uma taxa de cópia privada que nunca resolveu coisa nenhuma, apenas areia para cima dos autores. Continuamos a passar música exclusivamente estrangeira nas nossas rádios e televisões, nunca promovemos o livro, a investigação muito menos, já nem temos sequer Ministério da Cultura, o orçamento quase que desapareceu e vem a senhora dona ciciar-me aqui ao ouvido que isto é para proteger os autores e promover a cultura! Alguém será capaz de dizer à senhora que o caminho não será por aí, que isso serve apenas para encanar a perna à rã, terá que ser outro, mas prefere teimosamente ignorá-lo como fez durante todo o seu mandato.

 

Mas Canavilhas revela ainda um sentido de oportunidade tremendo e já não falo só do facto de se ter lembrado de mais esta taxa em plena crise, Canavilhas escolheu cirurgicamente o momento em que uma parte destes produtos triplicou o seu preço nos mercados mundiais fruto das inundações na Tailândia e do oportunismo que estas situações sempre geram. Os discos estão caros? Eu dou uma ajuda, meto-lhe mais uma taxa em cima.

Precisa-se urgentemente de um afinador de pianos...

14
Jan12

Estamos safos

salvoconduto

 

 

Uma vez mais as agências de rating baixaram a notação da República. Foi a gota de água, Álvaro Pereira decidiu há momentos tomar conta da cozinha e da pastelaria. Qual padeira de Aljubarrota prepara-se para arremessar pastéis de nata sobre os nossos inimigos, pelo meio vão umas pernas de frango para acalmar os cães.

 

E diziam vocês que o homem estava nas encolhas, três estrelas Michelin já ninguém lhas tira, ele é já o melhor pasteleiro chinês em território nacional, agora só temos que ir buscar sponsors, porquê? Porque se temos aqui o melhor pasteleiro chinês, vai vir charters todas as semanas, vamos abrir uma linha de exportação só para o pasteleiro chinês, vamos abrir o mercado asiático, com a fome que por lá há vai ser só facturar. Vamos pôr todas as lojas dos chineses que por cá temos a embalar e exportar pastéis, pelo meio exportamos também umas pernas de frango para acalmar os cães, está feito sócios. Agora é que vai. Bora lá que o homem está concentradíssimo. Querem com canela ou sem canela?

13
Jan12

É anjinha é, mas tem asinhas pretas

salvoconduto

 

 

É claro como a água que esta gente é escolhida pela convicção e firmeza com que fazem determinadas afirmações. "Não paga a renda? Rua!" No minuto seguinte. Assim se expressa Helena Garrido. Já quando toca a um empresário levar meses a fio sem pagar os salários tudo isso é compreen-sível e os trabalhadores que exigem o que é seu para alimentar as bocas que têm lá em casa e também para pagar a renda de casa ao senhorio, que na opinião da Leninha não pode atrasar-se um dia que seja, são uns insuportáveis oportunistas que vivem à custa do dinheiro investido.

 

Nesta matéria o Jornal de Negócios está bem servido, no fundo no fundo é de "negócios" que eles por ali tratam, o lugar como comentadores nos canais televisivos garante uns dinheirinhos extra, só é preciso seguir a música a compasso e estar atento à batuta do "maestro".

 

Quer lá saber Helena Garrido do drama de um qualquer inquilino que nem tem dinheiro nesse mês para comer porque o patrão não lhe pagou o ordenado. Rua! Sem apelo nem agravo. Já o patrão deve ter tido um motivo muito forte para se atrasar.

 

Controlam todas as empresas públicas, tribunais, os três órgãos do poder, presidência, governo, parlamento e têm gente desta a cobrir-lhe os flancos na comunicação social, foi assim que o outro governou durante quarenta e oito anos, gente como esta ajudou-o e muito...

 

Helena Garrido tem uma dimensão moral à escala da sua dimensão física, toda a compreensão para Alexandre Soares Santos da Jerónimo Martins, mínima para quem sofre as agruras desta crise. Diz a senhora que a economia como tudo reage a estímulos, será mais ou menos isso que me leva a reagir aos comentários da senhora que até se diz aparentada com o Bloco de Esquerda, o que seria se o não fosse...

 

11
Jan12

A massa de que são feitos

salvoconduto

 

 

Tudo indica que Mit Romney será o candidato pelo partido republicano às eleições presidenciais norte americanas. É um candidato à altura dos pergaminhos do partido republicano. Na recta final da campanha deixou uma frase que revela bem a massa de que aquela gente é feita: "adoro despedir pessoas". Assim sem gaguejar e rindo com vontade.

 

Por cá Manuela Ferreira Leite também não gaguejou quando afirmou ontem num programa da SIC que um doente com mais de 70 anos que necessite de hemodiálise poderá ter direito a ela, “se pagar”. Claro como água, se tiveres dinheiro ainda poderás andar cá mais uns anitos, se não em 5 ou 6 dias o problema fica resolvido definitivamente, vais fazer tijolo, e desimpedes os serviços para quem realmente tem direito à saúde, quem a paga, obviamente.

 

Ao mesmo tempo Catroga farto de apontar o dedo aos privilegiados deste país é promovido de conselheiro a conselheiro-mor da EDP e abonado da irrisória quantia de 639.000 euros anuais, ele que por sinal é reformado tal como a velha de que falei no parágrafo anterior.

 

Outro sinal da massa de que esta gente é feita é-nos dada pela nomeação do presidente da Câmara do Fundão, Manuel Frexes, para as Águas de Portugal. Como a autarquia a que preside está em tribunal com Águas de Portugal por uma dívida de sete milhões de euros, Passos Coelho não encontrou melhor forma de lhe resolver o problema se não nomeá-lo para o conselho de administração daquela empresa, não é em vão que se é presidente dos autarcas sociais democratas.

 

Depois vocês admiram-se quando os membros do governo não conseguem conter o riso cada vez que vão a debate à Assembleia da República e vêem a cara de alguns deputados...

11
Jan12

Dez anos de vergonha

salvoconduto

 

 

Completam-se hoje 10 anos sobre o nascimento desse "monstro" que dá pelo nome de Guantánamo, a prisão que violando todas as disposições internacionais foi erigida em solo cubano pelo governo de Washington que porfiou para que a "sujeira" se fizesse longe de casa.

 

Oito anos depois do seu encarceramento naquele buraco negro, onde permaneceu até há muito pouco tempo, Saber Lahmar, agora um homem livre, recorda o isolamento, a humilhação e a tortura que deixarão para sempre uma "mancha negra" no seu coração. Recorda a utilização de drogas na comida que o impediam de dormir, o ar condicionado gelado, a luz florescente na cela de 2m por 1,5m que não se apagava nunca, as privações de sono e de alimentos, a exposição constante ao ruído de um motor em movimento, que foi colocado na porta da sua cela, mas que era guardado durante as visitas da Cruz Vermelha, as descargas eléctricas ou o gás introduzido na cela durante 20 minutos todos os dias. Durante um ano e meio não viu o sol, durante os interrogatórios era obrigado a permanecer sentado num banco durante 18 horas seguidas. "Anos de tortura por nada" e a quem foi negado o direito de se defender.

 

Foi entregue às autoridades americanas na Bósnia, juntamente com outros cinco argelinos suspeitos de prepararem um ataque contra a embaixada dos Estados Unidos em Sarajevo. Quando ficou provado que as acusações eram infundadas, foi acusado de querer unir-se aos insurgentes no Afeganistão.
 
Seis anos depois da sua prisão um tribunal de Washington determinou que não havia evidência de qualquer crime ou de que o acusado fosse uma ameaça para os EUA. Tratava-se afinal de um simples professor de árabe que dirigia uma livraria em Sarajevo.

 

O buraco da vergonha continua lá em pleno, a medalha de um Nobel igualmente, em lugar de destaque na sala oval da Casa Branca. Há também quem guarde religiosamente um pedaço do muro de Berlim e faça por ignorar o que se passa em Guantánamo. É disso que eu gosto neles...

 

06
Jan12

Em noite de reis, com o rei na barriga

salvoconduto

 

 

Sei de antemão que vão fazer-me o reparo de que eu tenho os meus ódiozinhos de estimação, claro que os tenho, mas deixem dizer-me uma coisa, tarde ou cedo eles serão também os vossos. Dois deles já foram de vela, Sílvio Berlusconi e Álvaro Uribe, mas nunca fiando que é gente para voltar. Dizem-me alguns amigos que desenvolvi um outro, este mais caseiro, e que não valeria a pena perder um minuto com ele. Que é que eu vos hei-de dizer, tiram-me do sério as figurinhas rasteirinhas e visco-sas, Mário Crespo tem os dois requisitos.

 

Prosseguiu hoje a sua cruzada contra as greves, dispõe de uma hora em canal nacional, utiliza-o até ao último minuto, uma vez mais malhou e convidou a malhar sobre as greves dos transportes. Teresa Caeiro não se fez rogada, sem saber muito bem o que dizia lá ia afirmando que o Crespo tinha toda a razão e lembrou que é "hora de mobilização geral de todos os cidadãos". Tenho quase a certeza que deve ter passado o fim de ano na companhia de Alexandre Soares dos Santos, da Jerónimo Martins, devem ter rido à gargalhada, entre o champanhe e o charuto, por isso é que a senhorita está gorda e avacalhada, depois vêm com a desculpa dos filhos, vai lá vai, tão pequeninos e já arcam com os desvarios da mãe.

 

E lá continuava ela agitando grotescamente as mãos, "estas greves são gravosas", como se houvesse alguma que o não fosse, desde logo para os trabalhadores que as fazem e que as pagam do seu bolso.

 

Ternurinha mesmo foi ver Mário Crespo afirmar que não se pode "negociar" com tamanha proliferação sindical, logo esta gente que mais do que ninguém a incentivou.

 

Já me esquecia de dizer que estava outra figurinha presente, Alberto Martins ex-ministro da Justiça, que a medo, meio envergonhado, quase que pedindo desculpa pelo que ia dizer, lá ia gaguejando que as coisas não eram bem assim e que já tinha reunido com sectores onde havia muitos sindicatos. Mal feito fora, oh Alberto, ajudaste a criá-los e depois deixava-los à porta?

05
Jan12

País de mansos ou de poetas?

salvoconduto

 

 

 

“as elites têm que ser responsáveis e uma das principais ameaças ao desenvolvimento é faltarem políticos, empresários, intelectuais, académi-cos e sindicalistas independentes, capazes de poderem exercer por inteiro a sua responsabilidade”.

Alexandre Soares dos Santos

 

Não tinha intenção de gastar uma única letra com o assunto que envolve o patrão da Jerónimo Martins mas garanto-vos que está a ser uma delícia ler por estas horas os blogues de direita. Desdobram-se em argumentos para justificar a decisão de Alexandre Soares dos Santos de transferir as acções da Jerónimo Martins para uma sociedade com sede na Holanda.

 

Das mais parvas como a de que também há quem abasteça de gasolina em Badajoz até às mais "elaboradas e profundas" como esta: "o país desistiu Alexandre Soares dos Santos", mais nada, quem assim fala é senhor de muito saber, nem sequer por um momento lhe passou pela cabeça se terá, isso sim, Alexandre Soares dos Santos desistido do país à semelhança dos seus pares que como ele há muito acautelaram os seus proventos fora de portas

 

Miguel de Vasconcelos, contrariamente ao que se diz, sobreviveu no armário, onde estava escondido em perfeito deboche com uma das donzelas da corte, quem foi pela janela fora foi o desgraçado do amanu-ense. Não só sobreviveu como a sua prole cresceu, se multiplicou e chegou até aos nossos dias pujante, de tal forma que quando as revoluções acontecem nunca têm necessidade de se esconder num qualquer armário, ocupam os lugares da administração e da justiça que lhes garante o sossego em ocasiões conturbadas.

 

Apetece-me perguntar a esse senhor de muito saber porque não há-de o governo desistir de mim e me deixar colocar a minha pensão de reforma livre de impostos num país à minha escolha, eu depois lá me desenrascava. Algo me diz que esse senhor de muito saber me vai dizer que isso não pode ser, que a lei não o permite, ora aí é que está o cerne da questão, a lei não devia permitir nem a mim nem a Alexandre Soares Santos, somos ambos portugueses, julgo eu... porque o que está mesmo em questão é a forma como os capitais fogem desalmadamente daqui para fora com a conivência da prole de Miguel de Vasconcelos instalada no poder e com o aplauso da comunicação social, também ela igualmente conivente, como o são de resto os blogers que me vêm com essa cumbersa de Badajoz e de uma suposta "desistência", logo eles que há muito desistiram da honestidade.

 

Deixássemos nós de ser um país de "mansos" e Alexandre Soares estaria a esta hora a empacotar os restantes trastes para os colocar onde melhor o desejasse e não me venham perguntar onde é que eu faço as compras uma vez mais, eu lá me desenrasco, não se preocupem comigo já que não estão preocupados com o país.

 

 

04
Jan12

Rambo da merdaleja ou Dalai Lama da arrentela

salvoconduto

 

 

O ano promete, depois de ter aproveitado a pausa natalícia para devorar todos os livros e pensamentos de Mahatma Gandhi e do Dalai Lama, Seguro está de volta, mais seguro do que nunca. Depois de ter reiterado uma vez mais que os cortes são ilegais, alguém na sua bancada achou por bem, julgando-se em consonância com o líder, partir para a fiscali-zação sucessiva da constitucionalidade do Orçamento do Estado, mas essa gente não consegue compreender o seu líder, ele é violento mas faz da abstenção uma arma, ele clama que os cortes são inconstitucionais para recusa a fiscalização pelo Tribunal Constitucional, violento ma non troppo, o homem é a abstenção em pessoa. Com ele o PS avança com a marcha atrás engatada. Parece o Tonto, senta-se mesmo ao lado do Zorro, que ali no PS tinha mesmo que ser Zorrinho, só podia, é a nossa sina.

 

O homem é um autêntico dois em um, ora faz de Rambo ora faz de Dalai Lama, recusa até a companhia da própria sombra.

 

E há tanta gente a emigrar neste momento...

 

Pág. 2/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D