Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Salvo-conduto

A erva daninha cresce todos os dias

A erva daninha cresce todos os dias

Salvo-conduto

07
Fev13

Puro Veneno

salvoconduto

 

 

Decididamente vocês têm aquilo que merecem, ninguém dará um chavo por vós, falta-vos espírito empreendedor, imaginação, a capacidade de riscar do dicionário a palavra vergonha e escrever arrojo e audácia. Não fora esse espírito empreendedor e este país seria uma pasmaceira. Valem-nos pessoas da estrutura de Alexandre Nuno Vieira e Brito ou de Assunção Cristas para nos retirar do tédio em que vivemos. A coligação vai de vento em popa.

 

Acabadinho de saber, via Arrastão, em Outubro passado, Alexandre Nuno Vieira e Brito era membro da Comissão de Recrutamento e Selecção da Administração Pública. Nesse mesmo mês de Outubro, essa comissão abriu um concurso para o cargo de director-geral de Veterinária. Quem foi o nomeado pelo Governo para director-geral de Veterinária?

 

 

 

 

Até deixei um espaço maior para dar tempo às vossas meninges. Alguém pensou em Alexandre Nuno Vieira e Brito? Há danadinho do leitor que já lhe apanhou o jeito, acertou. Alexandre Nuno Vieira e Brito foi o nomeado. E pode? Claro que pode, desde há algum tempo que tudo é possível neste país. Foi nomeado oficialmente no dia 30 de Janeiro. Esperem lá vou deixar mais um espaço, outra vez as vossa meninges a funcionar, vamos lá.

 

 

 

 

Nada? Não vão lá? Pronto, esta até era capaz de ser difícil, no dia seguinte o nosso génio foi nomeado pelo CDS de Assunção Cristas Secretário de Estado da Alimentação e Investigação Agro-Alimentar. Ora digam lá se o homem não encarna mesmo o típico, o genuíno "empreendedor" português? Quando a coisa da "alternância" voltar a funcionar lá terá garantido o lugar de director-geral. Ai ninas, este não faz como a Marlene, não, só trabalha com rede.


Esta faz-me recordar aquele militante do PSD que, farto de levar no pelo, resolveu escrever ao Professor Marcelo a pedir-lhe ajuda, trabalha no banco público, diz que o seu salário está já ao nível de 2005, que o governo não lhe faz uma excepção, discrimina bancários do sector público e privado que continuam a receber sem os cortes que o afectam, pobre coitado não de dá conta que o professor anda muito ocupado, está agora preocupado em reunir as hostes laranjas que o hão-de levar a Belém, já montou palco na TVI, a directora de Campanha é Judite de Sousa. Vai uma aposta como o pobre diabo vai votar nele? Nele e no partido que o suga até ao tutano na companhia do CDS de Alexandre Nuno Vieira e Brito.

 

É a vida, cada macaco no seu galho, o empreendedor no seu e o otário no outro.

 

06
Fev13

Com a verdade me enganas

salvoconduto

 

 

Diz o homem que não é de partido nenhum mas disfarça bem, a pessoa que lhe redige as intervenções é pelos vistos a mesma que redige as de António Borges e Passos Coelho. Desta feita empertigou-se e largou mais uma: "E não sei porque se emociona tanto com a minha remuneração e não com a de um treinador do Benfica que ganha não sei quantas vezes mais do que eu? Se calhar porque isso afectaria os seus votos. Mas eu, como não sou de nenhum partido, sou um alvo fácil". Não é de um partido, tem apenas uma certa queda e esquece-se que quem lhe mete o dinheiro no banco e no bolso são aqueles de quem ele tanto desdenha, um nerd não acerta uma.

 

01
Fev13

Ataque de raiva?

salvoconduto

 

 

Camilo Lourenço está nas lonas, o homem espuma, já alguém alvitrou que aquilo é esgana, ataques epilépticos não podem ser, curou-os cedo quando começou a andar de joelhos e foi a Fátima, a não ser esgana o mais parecido que vi com tamanhos esgares e espuma foi um cão com uma encefalite que teve de ser abatido na Sociedade Protectora dos Animais.

 

É como vos digo, o bicho está assim desde que assistiu à cerimónia solene de abertura do ano judicial, engasgou, tossiu, espumou com o discurso do Presidente do Supremo Tribunal de Justiça na última quarta-feira.

 

Noronha do Nascimento criticou os ordenados dos assessores políticos, a quem acusou de se tornarem máquinas políticas alimentadas a dinheiro. "Percebe-se, assim, que assessores ministeriais com vinte e poucos anos de idade ganhem o que fará inveja a juízes de tribunais superiores e muito mais a qualquer juiz de comarca”, "os tribunais em nada contribuíram para a “crise que vivemos” mas sentem-na “na pele” com a “enxurrada de acções de dívida".

 

Não se ficaram por aqui as directas e indirectas perante os olhos raiados da ministra da Justiça, do Presidente da República e duma vasta e selecta audiência.

 

Foi dose, já antes Marinho Pinto, que como se sabe cai de amores por Paula Teixeira da Cruz malhara a bom malhar nas hostes laranja terminando o seu discurso declamando inflamadamente  Ary dos Santos.

 

A palidez de alguns rostos prenunciava mesmo algumas idas precipitadas ao WC, no caso do Camilo a coisa chegou a atingir foros de alguma gravidade, espolinhado no chão o Camilo entrava em convulsões ao mesmo tempo que espumava pela boca, um tratou logo de lhe sacar a língua para fora não fosse cortá-la com tamanhas convulsões, “não tires não tires” gritava uma, “quando a cortar dá-ma que eu leu levo para o meu gato”, uma outra magistrada que via a amiga dirigir-se a Camilo gritava também em tom alarmante: “Cuidado Sofia! Não te chegues a ele que poder ser raiva, um outro que já estava quase dobrado sobre Camilo perante tão lancinante grito dá um salto para trás ao mesmo tempo que exclama: “Raiva? Oh diabo, dá-se-lhe já uma paulada, foi assim que os meus pais me ensinaram em pequenino, lançar uma peça de roupa qualquer para ele a abocanhar e de imediato dar-lhe uma paulada bem no meio da cabeça, que não, gritava agora uma outra que ainda há bem pouco assinara uma petição para a defesa do cão que matara uma criança, “ponha-se-lhe um açaime que ele assim já não faz mal a ninguém e poupa-se o bichinho”.

 

Pelos vistos alguém terá chamado o INEM que também atarantados e de tanto ouvir os presentes gritar que era a raiva o levaram para o Hospital Veterinário da Laranjeiras em vez de o levar para o Hospital de São José.

 

Camilo já está recomposto, vai devagarinho, volta a escrever no Jornal de Negócios uma crónica a que não tenho acesso, é só para pagantes, mas cujo título é: "Noronha redigiu o programa do PCP?" seguido de uma das frases de Noronha que tanto transtornou Camilo Lourenço, atirando-o mesmo ao tapete: "A crise duradoura (…) leva a caminhos fáceis que passam por esmagar os débeis e moribundos e negociar a salvação dos príncipes".

 

Foi esta que o tramou, a partir daí de pouco se lembra até à altura em que já mais calmo e depois de medicado no hospital veterinário lhe retiraram a camisa-de-força e o açaime.


Vai com calma Camilo, umas canjinhas de galinha e vais ver que isso passa, não te esqueças de tomar a medicação toda, homem de Deus!

 

Pág. 2/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D