Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Salvo-conduto

A erva daninha cresce todos os dias

A erva daninha cresce todos os dias

Salvo-conduto

16
Out11

Para além de mentiroso é batoteiro

salvoconduto

 

 

Como o pior dos batoteiros, com ases e manilhas na manga, Passos Coelho afirma que os trabalhadores do sector público ganham mais 14% do que os trabalhadores do sector privado.

 

Socorrendo-me dos dados que me estão mais à mão gostaria que o aldrabão me demonstrasse onde e como um trabalhador do banco do Estado ganha mais 14% do que os seus pares do BES, BCP ou BPI.

 

Se fosse honesto divulgaria o salário de um médico, professor, enfermeiro, etc, etc, no sector público e no privado, comparando o comparável e mostrando onde estão esses 14%.

 

Não pode é nessa comparação incluir profissões que não existem num ou no outro sector. Não pode é nessa comparação incluir aqueles que vão temporariamente ao sector público para dele se aproveitar e o delapidar.

 

Pior ainda do que os cortes que efectuou é lançar, à boa maneira do seu antecessor, o estigma sobre os trabalhadores do sector público que mais não fazem ali do que vender a sua força de trabalho à semelhança do que fazem os do sector privado.

 

Lançar o anátema da responsabilidade pela crise ao trabalhador do sector público é a mais pura das batotas e uma infâmia.

 

Virar trabalhadores contra trabalhadores é um acto só ao alcance dos fracos, é um acto de cobardia perpetrado por alguém que enquanto estiver no exercício das funções de primeiro-ministro não deixa de ser ele mesmo um funcionário público.

 

O primeiro-ministro sabe bem ao que anda, busca o mesmo que os seus pares quando resolveram passar pelo governo. É elucidativo o estudo que nos mostra o rendimento anual de alguns governantes antes e depois de por lá passarem, e só em relação aos valores declarados:

 

  ANTES DEPOIS
Pina Moura 22.814€ 697.338€
Jorge Coelho 41.233€ 702.758€

Armando Vara

 59.486€ 822.193€
Dias Loureiro 65.010€ 861.366€
Faria de Oliveira 65.010€ 700.874€
Fernando Gomes 47.901€ 515.000€
António Vitorino 36.089€ 383.153€
Luís Parreirão 52.212€ 463.434€
José Penedos 112.947€ 728.635€
Mira Amaral   64.968€ 414.294€
António Mexia 680.360€ 3.103.448€
Castro Guerra 43.658€ 210.828€
Ferreira do Amaral 64.968€ 278.258€
Filipe Baptista 74.254€ 192.282€
Ascenso Simões 70.258€ 122.102€

  

É apenas uma pequena amostragem daqueles que foram para o governo com um único motivo, a ganância. Estes sim são alguns dos responsáveis pelo estado a que isto chegou, não foi o simples trabalhador ou reforma-do a quem acusam de viver acima das suas possibilidades.

 

Senhor ministro, vá roubar para outro lado.

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D