Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Salvo-conduto

A erva daninha cresce todos os dias

A erva daninha cresce todos os dias

Salvo-conduto

02
Ago12

Verão quente

salvoconduto

 

 

O PREC da direita está no auge, rejubilam, contas "acertadas" com o mundo do trabalho, é vê-los ressurgir de todos os cantos onde desde 74 esperavam a sua grande oportunidade. O "seu" código de trabalho entrou finalmente em vigor, não tardarão a fixar "objectivos", quem não alinhar pela partitura terá a porta da rua à sua espera.


Finalmente o país está agora coberto de lés a lés pela cor laranja, nada escapou. Colhem o fruto à vontade, publicam leis para que os partidários não sejam abrangidos pelas que lançam sobre o comum dos mortais. Aos seus correligionários nas administrações da coisa pública é garantida a excepção, podem ter salários superiores ao do primeiro-ministro, mesmo que os resultados sejam os piores de sempre. Faria de Oliveira, José de Matos, António Nogueira Leite, Norberto Rosa, Rodolfo Lavrador, João Nuno Palma e Cabral dos Santos, todos com duas coisas em comum, o cartão laranja e cargo de administrador da CGD.


Multiplicam-se nas administrações, acumulam cargos, trinta empresas em simultâneo, um deles chega mesmo a 73. Os boys que chamaram para os gabinetes ministeriais na maioria dos casos continuam a receber 14 meses por ano. Catroga mete a sobrinha-neta na EDP que dirige. Pedro Rebelo de Sousa administrador da CGD, para a qual despende apenas 15% do seu tempo, passa agora a acumular mais um cargo de administrador, na Cimpor, para além do seu escritório de advogados que continua de vento em popa a realizar negócios com o Estado. A toda a parte chegam os vampiros, poisam nos prédios poisam nas calçadas, trazem no ventre despojos antigos.


Os inocentes úteis fazem-lhes o trabalho sujo, desdobram-se nas tvs, tecem loas aos mestres, que agora sim, Portugal chega-se ao pelotão da frente, lançam foguetes coloridos a uma só cor, laranja. Dizem que "hoje é um dia de libertação, dia em que gestores e empresários podem entrar pelas empresas, fábricas e escritórios e bradar uma nova mensagem aos trabalhadores: "Senhoras e senhores, de hoje em diante seremos finalmente mais competitivos: estão todos despedidos!".


Algures à volta de uma mesa opiparamente guarnecida, Álvaro Pereira, António Saraiva e João Proença trocam de novo brindes, missão cumprida, sob o olhar sorridente de Passos Coelho e António José Seguro que apertam as mãos, porreiro pá!

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D