10 comentários:
De Suzette a 23 de Setembro de 2008 às 00:23
Bela história e é da vida real, como costumas trazer.
De toulixado a 23 de Setembro de 2008 às 01:09
Esse Sammy tem razão, algumas ONGs mais não fazem do que arranjar justificativos para o dinheiro que recebem.
De cristal a 23 de Setembro de 2008 às 08:03
Infelizmente a cooperação internacional foi transformada quase toda em mais um "negócio"...
De Ferreira-Pinto a 23 de Setembro de 2008 às 11:28
O negócio das ONG move milhões e emprega milhares. Alguns não passam de meros parasitas.
De São Banza a 23 de Setembro de 2008 às 14:55
Newm sei como transmitir o que sinto, tal é a amalgama de emoções...
Bem hajas!
De ana camarra a 23 de Setembro de 2008 às 16:13
Eu pessoalmente desconfio da ONG's, muito.
Conheço um caso fantástico de um taxista de Lisboa que em poucos anos formou uma, para apoio a Angola e está rico, toda a familia tem cargos na ONG, recebe apoios pouco claros cá e lá, tem uma mega vivenda em Santo Estevão, piscina e afins, terrenos e não sei que mais...
Contas mais uma história excelente de humanidade, linda e esperançosa...
A esperança, dizem, é a última a morrer e eu sou uma mulher que ainda deposita muita esperança na humanidade, somos capazes de coisas muito más, mas também de coisas muito boas.

beijo
De Pedro Oliveira a 23 de Setembro de 2008 às 16:24
Não dês peixe, ensina a pescar.É uma frase secular que faz todo o sentido.
As ONG's podem ter toda a boa vontade do mundo,mas são coordenadas por pessoas que não percebem que não é colocar dinheiro no problema que ele deixa de existir, é criar condições para que as pessoas aprendam a resolver os seu problemas.Por isso que o microcrédito tira mais pessoas da miséria que o dinheiro mandado à rua das ONG's.
De Lúcia a 23 de Setembro de 2008 às 21:57
Grande Post, Amigo! Palavra que estou impressionada. Pela história e pela lição. Aquelas pequenas coisas que estão á nossa vista e não vemos. Até me sinto corar. Eu que tão atenta e interventiva sou...mas é isso: há que escutar - lembrar a dignidade humana. E isso, por vezes, parece divorciado da sacções em prol dos direitos humanos. Porque tem de se ouvir o povo. Grande lição!
Beijos
De carlosbarbosaoli a 23 de Setembro de 2008 às 23:40
Só para acabar, porque o anteior comentário pirou-se antes de tempo..
Há outras, dizia, que se peocupam em conhecer os verdadeiros interesses das populaçoes e escutam as populaçõs, construindo os projectos a partir daí.
Um dia, talvez lhe possa contar mais pormenorizadamente alguns projectos em que participei.
De salvoconduto a 23 de Setembro de 2008 às 23:52
O anterior comentário também aqui não chegou.

Abraço

Comentar post