Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Salvo-conduto

A erva daninha cresce todos os dias

A erva daninha cresce todos os dias

Salvo-conduto

07
Nov08

Estados Unidos e Zimbabué lado a lado

salvoconduto

Um total de 147 Estados membros das Nações Unidas apoiaram a continuidade do processo de criação de um Tratado Internacional sobre Comércio de Armas (TCA). A campanha "Armas debaixo de Controlo", que representa milhões de activistas, faz um apelo a todos os Estados para que garantam um tratado efectivo baseado nos direitos humanos e

no desenvolvimento.

Em concreto, 145 países votaram o Tratado e dois estados acrescentaram o seu voto a posteriori, um número notavelmente superior aos 139 Estados que em Outubro de 2006 respaldaram o início do processo.

O voto foi particularmente contundente por parte de África, América do Sul, América Central e Europa, e "indica a premente necessidade de maiores controlos sobre o comércio de armas exigidos tanto pelos países mais afectados pela violência armada como pelos maiores exportadores de armas".

Imaginem quem votou contra! Apenas dois países! Os Estados Unidos e o Zimbabué, ignorando o consenso mundial que se alcançou! Só podia ser...

Cada dia, mais de 1.000 pessoas morrem por causa das armas de fogo e mais outros mil morrem por causas indirectas derivadas da violência armada. Desde que as Nações Unidas iniciaram o processo em Dezembro de 2006, 695.000 pessoas morreram por estas causas.

Brian Wood, representante da Amnistia Internacional, manifestou que "com esta votação o mundo deu um grande passo em direcção a um Tratado sobre Comércio de Armas baseado nos direitos humanos". É lamentável que os governos dos Estados Unidos e do Zimbabué tenham votado contra um Tratado que poderia salvar tantas vidas.

Agora que a maioria dos governos apoiam o Tratado sobre o Comércio de Armas, devem actuar com urgência para que seja uma realidade.

Por sua parte, Mark Marge de IANSA afirmou: "Este voto representa uma vitória para os milhares de activistas de todo o mundo", mas deve continuar-se a pressionar os governos "para que se avance na implementação de um tratado contundente e legalmente vinculante".

Pena é que ainda existam ovelhas ranhosas...

15 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D