Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Salvo-conduto

A erva daninha cresce todos os dias

A erva daninha cresce todos os dias

Salvo-conduto

28
Nov08

Sevilha e o rei de Espanha...

salvoconduto

Trinta e três anos e um dia depois da sua morte, Francisco Franco Bahamonde foi despojado de todos os reconhecimentos, medalhas da cidade ou títulos honoríficos que um dia lhe deu, acrítica e imerecidamente o município sevilhano.

Foi uma iniciativa da Izquierda Unida, apoiada por unanimidade do plenário municipal.

"A actual corporação democrática não podia aceitar que o responsável de milhares de assassinatos e crimes políticos, genocida, ditador e golpista, mantenha as honras que se reservam para outros que deram valores positivos à cidade".

"Àqueles que deram a sua vida e que são deste município, a começar pelo Alcaide Republicano D. Horacio Hermoso Araujo, e a totalidade da corporação que existia no momento do golpe militar e um número importante de funcionários e empregados públicos fuzilados pelo facto de defenderem a legalidade constitucional";

"Aquelas pessoas de 1936, alcaides, conselheiros e empregados públicos do Município de Sevilha, que perderam a vida vilmente assassinados pelo ódio e a intolerância gerados por aquele militar sublevado à ordem republicana. Quem tanto dano provocou a este país em geral, mas também a esta instituição em concreto, não merece as honras precisamente deste consistório", assinala a IU, em homenagem "a quantos morreram, mas especialmente a estas pessoas, não podemos senão restaurar a sua memória e recuperar a dignidade democrática arrancando os imerecidos reconhecimentos que esta cidade proporcionou ao ditador".

Enquanto isto acontece em Sevilha, 33 anos depois da morte do sanguinário ditador, a Casa Real de Espanha mantém na sua página na Internet uma mensagem de reconhecimento e gratidão para com Franco. Assinala o comunicado, emitido pelo herdeiro de Franco: "...que com tanta dedicação e entrega, deu-nos um exemplo único de amor a Espanha e sentido da responsabilidade".

33 anos depois da morte de Franco o rei de Espanha não mostra respeito por aqueles que tombaram às mãos da ditadura. Não é pois de estranhar que também recuse a abertura das valas comuns onde jazem milhares de inocentes, para quem as famílias reclamam, em vão, o direito de terem um túmulo.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D