Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Salvo-conduto

A erva daninha cresce todos os dias

A erva daninha cresce todos os dias

Salvo-conduto

13
Jan09

Na Colômbia enterram-se os mortos

salvoconduto

 

 

Era minha intenção vir aqui hoje falar sobre mais um dos escândalos protagonizados no nosso cantinho que é Portugal. É óbvio que já sabem que me estou a referir a mais uma promoção de Armando Vara. Estaria em condições privilegiadas para o fazer, de tal modo conheço a vida interna daquele banco. Por certo estaria agora aqui a manifestar o meu escândalo pelo facto de se premiar alguém que bate com a porta e vai trabalhar para a concorrência ou pelo facto de Faria de Oliveira estar a lamber a mão de quem o nomeou para presidente da Caixa, mas passam-se coisas no mundo bem mais importantes e a que dedico especial atenção, como é o caso da América Latina, de tal maneira que não poderia deixar de dar conta do que se passa na Colômbia e de ali finalmente estarem a enterrar os seus mortos.

 

Cinco famílias de Barrancabermeja, porto petroleiro sobre o rio Magdalenano, no centro da Colômbia, poderão enterrar finalmente os familiares assassinados pelos paramilitares em Maio de 1998.

São os primeiros cinco, dos 140 cadáveres, que a Procuradoria entregará neste início de ano, em distintos pontos do país, vítimas destes grupos de extrema-direita que semearam o terror durante duas décadas. A primeira cerimónia de entrega foi este este fim de semana, numa povoação perto de Bogotá; os restos são de três indígenas.

A Procuradoria da Colômbia tenta encontrar e identificar os 30.000 desaparecidos que se crê que haja na Colômbia.  Já se encontraram mais de 1.500 cadáveres em valas comuns, dos quais se conseguiram identificar apenas 450.

Na matança de Barrancabermeja morreram 25 pessoas. De forma brutal os paramilitares entraram neste porto, influenciado durante anos pela guerrilha. Entraram pelas barracas dentro e levaram as vítimas em camiões, a maioria jovens, que foram os primeiros de uma interminável lista de crimes. Dezenas de famílias daquela povoação continuam à espera de um corpo para encerrar a sua dor.

Neste momento há 400 corpos que serão submetidos a provas de ADN, mas há outros 800 de que nada se sabe. Para aclarar a história do horror que escondem, a procuradoria está a visitar as regiões mais golpeadas pela violência, contacta com os afectados e exibe objectos pessoais encontrados nas valas. Desta forma já conseguiram identificar diversos corpos.

Muitas das valas comuns foram encontradas graças às confissões de para-militares, que com o seu testemunho procuram beneficiar de reduções de penas, a condenação máxima é de oito anos. Mas enquanto muitos dão a localização precisa das valas alguns dos seus chefes trasladam os corpos para destruir as provas dos seus crimes.

Alguns paramilitares confessaram, sem assomo de vergonha, que mataram milhares de pessoas. Estas confissões livres destaparam uma verdadeira história de horror. Tanta quantidade de actos violentos e uma sociedade cúmplice; ninguém reagiu, não houve uma resposta oportuna para enfrentar a chacina.

Os paramilitares, com a desculpa de defender-se da guerrilha, converteram-se numa verdadeira máquina de morte: assassinaram milhares de camponeses e líderes sociais e sindicais, deslocaram-nos e apropriaram-se das melhores terras do país. Muitas quintas usadas para assassinar e fazer desaparecer todo aquele que consideravam próximo ao comunismo, foram convertidas em cemitérios clandestinos. Há cadáveres que jamais serão encontrados porque foram lançados aos rios, para ocultar os rastos.

Alguns dos grandes chefes desta macabra organização estão hoje nos Estados Unidos "supostamente acusados" de narcotráfico, outros continuam a encabeçar grupos de paramilitares com a conivência de Uríbe que vai ser hoje condecorado por Bush com a medalha presidencial da liberdade...

14 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D