Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Salvo-conduto

A erva daninha cresce todos os dias

A erva daninha cresce todos os dias

Salvo-conduto

30
Jun09

O "papelaço" de Chora

salvoconduto

Porque o tema me interessava, assisti ontem ao "Prós e Contras" que se propunha debater o "trabalho em tempo de crise". No fim do tempo que durou o programa o que retive foi a cena lamentável protagonizada por António Chora, o presidente da Comissão de Trabalhadores da Auto-Europa. Não esteve com meias medidas e acusou os sindicatos e confederações patronais de retrógrados, isto é, neste rectângulo luso só ele! O único iluminado! Curiosamente Chora é membro de um sindicato, mas que raio, que faz ele então numa organização retrógrada?

Bem esteve Carvalho da Silva quando, recusou, com bofetada de luva branca, levar o debate por aí, o que provocou o esgar amarelo de António Chora.

Este tipo de debates é como chover no molhado. As nossas associações patronais interiorizaram uma só coisa: a redução dos salários e o aumento dos horários de trabalho. Nem tão pouco valeu a intervenção do representante da Organização Internacional do Trabalho, OIT, que tem representação paritária de governos dos 182 estados-membros da ONU e de organizações de empregadores e de trabalhadores, afirmar que na última conferência anual, realizada neste mês de Junho, se concluiu precisamente que não é pela via de redução dos salários e do aumento da carga horária que serão encontradas soluções para o emprego.

Temos à frente das organizações patronais alguns dirigentes de ideias fixas. Durante anos bateram na tecla da rigidez laboral, agora aproveitando a crise, colocam-na de lado e carregam noutra, a das remunerações salariais. Chegam até a querer-nos convencer que a culpa da crise foram os salários dos trabalhadores. Nem sequer coram de vergonha se alguém aponta as altas remunerações e bónus de gestores ou a administração ruinosa do sistema financeiro.

Enquanto a maioria dos governos dos países desenvolvidos implementa linhas de acção para promover a recuperação económica e do emprego, ou seja, medidas de estímulo da procura, através de incentivos fiscais e baixas taxas de juro e medidas dirigidas ao sector financeiro, para atingir o equilíbrio e restabelecer o fluxo de crédito, os nossos empresários apostam na redução dos salários e António Chora no insulto aos sindicatos, é obra!

10 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D